Andando por Montevideo e Punta del Este, Uruguay.

Olá queridos,

Dando sequência a história, hoje vou contar um pouquinho da minha experiência em Montevideo e Punta del Este, outras duas cidades uruguayas que são totalmente o oposto, podemos compara-las entre o antigo x o moderno; história x contemporaneidade; arquitetura secular x arranha-céus. Não vou me prolongar muito porque quero falar das duas cidades neste post.

Era 01 de abril 2015 (dia da mentira) mas é verdade (hahaha), lá já estava novamente embarcando para uma nova aventura, prévia do feriado de Páscoa, aeroportos lotados… Confusão no check in, confusão no embarque, confusão na retirada das malas… por fim, Montevideo chegamos! Apenas 3h de São Paulo, era sete da manhã quando o voo da TAM pousou na capital uruguaya, a cidade começava acordar… com uma malinha pequena entrei no ônibus em frente à saída do embarque e fui em direção ao centro da cidade. Paguei em moeda local para o próprio motorista e com ajuda do google maps desci na parada mais próxima ao meu hotel, o trajeto aeroporto – Ciudad Vieja pode durar de 35 a 40 minutos, oriente-se. Optamos por ficar no centro histórico da cidade, visto que ficaríamos pouco tempo na cidade, sendo fácil andar pelos pontos turísticos a pé…

Andando pelas ruas de Montevideo é fundamental levar em consideração da preciosidade que é o Centro Histórico, sua arquitetura, culinária, cultura e muvuca tudo ali, grátis e cheio de detalhes para ser explorado… muitos monumentos podem ser visitados gratuitamente, caso tiver dúvidas procure o centro do visitante/turista que fica próximo à prefeitura da cidade, lá eles indicam tudo que há na cidade e arredores, como chegar, sair, se locomover, valores etc… Quanto aos locais que indico para conhecer são: Mercado del Puerto, Teatro Solis, Museo Torres Garcia, Museo del Carnaval, Café Brasileiro, Rambla de Pocitos, Prefeitura da cidade (mirador), Museo Blanes, Jardim Japonês, Jardim Botânico, Shopping Punta Carretas, Parque Rodo, Letreiro Montevideo, Café Deli (Hotel Park Hyatt), Peatonal Sarandi, Puerta de la Ciudadela, Plaza Independência. Planeje sua visita de acordo com a proximidade dos pontos ou pelos bairros, assim fica muito mais fácil de ter acesso e conhecer tudo de uma forma mais rápida, econômica e organizada.

 

Após dois dias na capital, seguimos rumo ao balneário mais famoso do país, Punta del Este. Muito fácil chegar… se você está no aeroporto, lá mesmo você consegue pegar o bus que te leva para a cidade vizinha com preços populares, já se você estiver no centro como eu, vá para o Terminal 3 Cruzes, compre a passagem e relaxe durante os 120 km de viagem; quanto o tempo de viagem, pode variar devido ao trânsito que pode ser grande em altas temporadas. Punta tem fama de ser uma zona chique, de luxo e requinte… posso confirmar isso, inclusive tudo muito caro. Hahahaha. A cidade vira um agito de milionários no ano novo e carnaval, como fomos na Páscoa as coisas não estavam tão agitadas, porém os preços ainda estavam salgados. Com a mudança de temperatura, no inverno a cidade fica menos agitada. Em Punta del Este, sugiro uma visita na Fazenda La Pataya, local onde é feito os melhores doces de leite do país, alfajores e demais produtos nacionais… muito bom. Uma outra atração ali perto é a Casapueblo, local que mescla hotelaria e museu, incrível, sem sombra de dúvidas um dos pontos fortes da cidade. Com minha humilde experiência dos melhores “sunsets” da minha vida, é de arrepiar… é possível comer, beber um café ou drink no restaurante do local… muito bom, mas prepare o bolso. Na cidade sugiro um aluguel de carro, nos não alugamos e caso retornasse eu alugaria, tudo é muito distante, muito mesmo.. As boas praias são longe de tudo e o transporte público na cidade não é eficiente. Conhecendo a cidade, Playa Mansa, La Barra, Playa Biquini, Puerto de Punta, Monumento los dedos, Puente Leonel Vieira e Mirador La Vista… fizemos a grande maioria dos passeios de bike, deu certo? Deu, mas no fim do dia estávamos tão cansados que não conseguimos pisar no chão de dores no corpo… não recomendo essa estratégia.

No dia seguinte, ainda com dores no corpo de tanto esforço físico, ficamos pela cidade, então conhecemos o centro da cidade, lojinhas e o próprio Hotel Conrad. Ele é gigante, lindo e possui acesso gratuito para o cassino e área de compras e restaurantes. Eu até aquele momento, não tinha entrado em contato com tanto luxo.. foi uma experiência muito interessante. No outro dia, logo pela manhã retornei para Montevideo, peguei o ônibus no terminal da cidade e já parei direto no aeroporto, segui para meu check in e retorno a Goiânia para a vida normal…

Cheguei em Goiânia ao fim do dia, cansado e sem malas. A companhia área fez o favor de perder minha bagagem com vinhos e quitutes, mas por fim consegui recuperar após alguns dias. Obviamente, entrei com uma ação indenizatória e ganhei por esse descuido do serviço prestado pela empresa. Uruguai, posso falar com boca cheia que te amo, adorei sua cultura, seu jeito tranquilo de ser, seus cafés, sua comida e seus contrastes… novo e velho convivendo lado a lado. Não é à toa que retornei, e retornarei sempre que conseguir..

 

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s